E chegou o grande dia para desenvolvedores e entusiastas da Apple. A empresa realiza a partir das 14h (horário de Brasília) desta segunda-feira (22) a sua conferência WWDC (Worldwide Developers Conference) 2020, que deve apresentar novidades sobre os sistemas operacionais dos iPhones, iPads, Apple Watches e Macs. Pela primeira vez, o evento será 100% virtual por causa da pandemia do novo coronavírus. Logo, as expectativas também giram em torno de como a Apple dará destaque a todos os anúncios sem a presença física e reações acaloradas de estudantes, programadores e fãs.
No ano passado a Apple anunciou enfim a chegada do modo escuro no iPhone e uma nova forma de digitação (deslizando o dedo de uma letra para outra para formar as palavras). Para este ano, a expectativa é que o iOS 14 seja atualizado com:

Tradutor nativo – Usuários conseguiriam traduzir páginas na internet sem recorrer a outros serviços (como Google Tradutor, por exemplo). Ele funcionaria no navegador padrão do iOS e nos aplicativos em geral.
Widgets dos aplicativos – Funções que simplificam o acesso a apps e ferramentas do sistema. É um recurso antigo nos aparelhos Android e permite acessar a certos recursos sem precisar necessariamente abrir o app.
Wallpapers – A visualização dos planos de fundo pode ficar mais otimizada. No lugar de listas, é possível que o novo sistema traga opções divididas por categorias (“coleções”).
Instant apps do Android – Pequenas funcionalidades de aplicativos poderiam ser acessadas sem a obrigação de instalá-los por meio da App Store.
Atualização de modelos antigos – todos os iPhones compatíveis com o iOS 13 poderiam ser atualizados para o iOS 14.

Segundo o site MacRumors, o iMessage, serviço de mensagens do iPhone, pode ganhar atualizações. Algumas delas incluem indicadores de digitação durante as conversas em grupo, marcação de mensagens não lidas e apagar mensagens enviadas.

WatchOS 7 Quem tem o relógio inteligente da Apple pode esperar que o WatchOS 7 deixe o dispositivo mais independente do iPhone (em relação aos aplicativos criados com foco no relógio) e melhorias nas funções de saúde. Pelo menos essas são duas das apostas. Talvez a novidade mais esperada seja o acompanhamento de sono nativo do sistema. Atualmente, o usuário precisa vincular os registros a um aplicativo de terceiros. O recurso de oxímetro, capaz de medir o nível de oxigenação do sangue, também é esperado. Essa possibilidade ficou ainda mais em evidência diante do novo coronavírus— a taxa de oxigênio de alguns pacientes graves da covid-19 acaba caindo por conta da doença. Anéis de atividade também podem receber uma atualização e ficarem mais espertos com ajustes personalizados. Alguns rumores indicam ainda um medidor de estresse e uma função para controle dos pais para gerenciar os relógios usados por seus filhos.

iPadOS 14 Quando ao iPad, alguns rumores indicam que o novo sistema operacional vai permitir que o usuário defina aplicativos de empresas terceiras como opções principais de uso. Por exemplo, no lugar de usar o navegador padrão da Apple, você poderia definir o Chrome, Firefox ou outro como acesso principal à internet —há quem diga que essa atualização também será feita nos iPhones. São esperadas melhorias nos recursos ligados ao Apple Pencil, como preenchimento automático de formas, segundo o site Mashable. No caso, o usuário começaria a desenhar e o sistema operacional completaria automaticamente a forma ao se antecipar ao que seria desenhado. Outra possível novidade destacada pelo site 9to5mac seria o suporte do iPad a cursores de mouse.

MacOS iMessage: o aplicativo de mensagens da Apple seria otimizado para o Mac e ganharia recursos que funcionam no iPhone. Especula-se também que a Apple anuncie que vai deixar os processadores da Intel para usar um de fabricação própria. tvOS 14 Dados de exercícios integrados: o usuário poderia fazer treinos guiados na TV ou no iPhone usando o Apple Watch. As informações seriam compartilhadas, e o progresso acompanhado em tempo real na tela.

Combo com Apple TV+ Pacote de serviços: Apple pode lançar um pacote de assinatura que envolva os serviços Apple TV+, Apple Music e Apple News+. Atualmente, o usuário interessado adquire individualmente.